28 de jun de 2014

Google: mais de 41 mil europeus pediram para serem “esquecidos” na web


Em apenas três dias, o Google recebeu mais de 41 mil pedidos de cidadãos europeus para que os seus dados sejam retirados das pesquisas no site. O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) reconheceu em maio deste ano o direito dos cidadãos a serem “esquecidos” na internet.

A ação surge como resultado da decisão do TJUE, por considerar que o site deve responder aos pedidos dos utilizadores e apagar dados e informações pessoais processadas e armazenadas pelos seus servidores, caso os utilizadores do serviço entendam que tal conteúdo possa ser prejudicial.

Os efeitos da medida surgiram já a partir de 30 de maio deste ano, imediatamente após o Google liberar o formulário para solicitar o “direito ao esquecimento” na rede – para se ter uma ideia, neste mesmo dia, a empresa recebeu 12 mil pedidos.

Com o objetivo de cumprir a decisão do tribunal, a motor de busca mais famoso do mundo criou um formulário para facilitar o envio de queixas. A empresa garante, ainda, que cada pedido será analisado individualmente, embora não se comprometa com prazos para retirar as ligações, considerando que isso dependerá de cada pedido.

Importante lembrar que, por enquanto, a decisão é válida apenas no espaço da União Europeia!

Compartilhe essa postagem!
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...

Recomendamos para você »

0 comentários

Seja livre para expor seu pensamento!

Se preferir, antes, leia nossas regras para comentários...
(Atenção: Comentários "Anônimo" não serão publicados. Escolha "Nome/URL". Obrigado!)
Bom comentário!

:) :-) :)) =)) :( :-( :(( :d :-d @-) :p :o :>) (o) [-( :-? (p) :-s (m) 8-) :-t :-b b-( :-# =p~ :-$ (b) (f) x-) (k) (h) (c) cheer

 
Pré-Designed by BlogThietKe Designed by @Mundo_Informal
© 2012-2014 .::Mundo Informal::. Todos os direitos Reservados
Licença Creative Commons
...See you!
Voltar ao topo